Como parte da nova Política Nacional de Atenção Básica, que amplia a atribuição de agentes de Saúde comunitários e de combate às endemias, 53 profissionais que atuam no Grande ABC passarão por capacitação do governo federal com o intuito de se tornarem técnicos de enfermagem. O número corresponde a 3% dos trabalhadores da área na região.

O projeto do Ministério da Saúde prevê investimento de R$ 1,25 bilhão na formação dos profissionais de todo o Estado. O início das aulas está previsto para março, com duração de dois anos. A expectativa é a de que a formação técnica amplie a resolutividade dos atendimentos prestados à população por meio da rede de Saúde da Família.

Na opinião do agente de combate às endemias Renato Augusto Abraão, 36 anos, a iniciativa vale a pena, pois complementa a formação já recebida no início da profissão. Ele atua na UBS (Unidade Básica de Saúde) Batistini, em São Bernardo. “Já tenho curso de raio X, mas acho legal que o governo esteja atento a nós. Especializações são sempre bem-vindas”, disse.

Os protetores comunitários, como são chamados, trabalham todos os dias na rua, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Embora orientação e informações sejam o principal foco do atendimento, os profissionais da Saúde também acabam fazendo papel de ombro amigo, terapeutas e agentes sociais.

Em nota, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, diz que o curso irá potencializar a ação dos agentes. “A medida permitirá ampliação do acesso à atenção básica, levando atendimento de qualidade e com alta resolutividade à população, evitando custos desnecessários e assistência complexa. Estamos contando com as instituições para que qualifiquem, com o que possuem de melhor, esses agentes de Saúde”, destacou.

O curso será ofertado por instituições de ensino públicas e privadas do Estado habilitadas pelo Ministério da Educação e Programa de Formação Técnica para Agentes de Saúde. Após a formação, os profissionais estarão aptos a fazer curativos em domicílio, medir a pressão arterial e a glicemia, e também a ajudar no combate a mosquitos que transmitem doenças.

Via DGABC.